Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

dany23

dany23

27
Jan08

Proposta da Professora Alcina Silva

DanI

Eram 7:30h da tarde, de um Inverno muito rigoroso. Lá fora estava escuro como breu e Paula estava a começar a fazer o jantar na sua cozinha toda remodelada. A água já fervia em cachão, numa enorme panela e no exacto momento em que ela ia deixar cair a massa lá dentro, faltou a luz. Paula já não via nada e o que via era uma simples chama do fogão. Começou a ficar assustada pois tinha a sua filha recém-nascida dormindo. Pegou numa vela que tinha ao lado do fogão para o caso de algum dia falhar a luz. Acendeu-a no lume que o fogão produzia através do gás. Logo a seguir foi direito ao quarto da bebé que de repente começou a choramingar. Paula passou a vela em cima da cómoda e foi buscá-la. Mas ao mesmo tempo que a Paula foi buscar a filha a vela caiu sobre o tapete e ardeu. A bebé assustou-se com tanta chama e começou a chorar. Paula estava desesperada, não sabia o que havia de fazer, mas logo, só viu uma oportunidade.
FUGIR era a melhor solução.
Fugiu com a bebé deixando tudo para trás. A recém-nascida levava apenas um cobertor. Muito quentinha, muito aconchegada. Era uma bebé muito linda. A casa ficou em chamas, pois Paula já não podia fazer mais nada. Situava-se num sítio muito escondido, não havia casas por perto. Demorava certamente 15 minutos para chagar à casa mais próxima. Paula lembrou-se de ir buscar o carro que ficava um pouco longe da casa. Pois sem mais demoras foi buscar o carro. Paula deitou a menina no carro que logo acabou por adormecer. Chegou á primeira casa, quando de repente começa uma grande tempestade. Deixou a menina no carro e logo foi bater á porta da casa.
- Preciso de ajuda, a minha casa está a arder e tenho a minha filha recém-nascida no carro, podia ajudar-nos?
- Sim, vá buscar a sua filha.
A senora vivia sozinha, pois poderia ajudar a Paula.
A menina acordou e a mãe foi dar-lhe banho e dar-lhe de comer.
A lareira estava acesa e a bebé estava deitada no sofá, ao quentinho.
Eram 10:30h, Paula e Maria já estavam cansadas e logo se foram deitar.
Paula perguntou a Maria:
- A onde é que eu vou dormir?
- dormes lá em cima, no quarto do meu neto.
- E o seu neto a onde é que ele está?
- o meu neto foi passar férias a casa dos pais, mas não se preocupe, ele vai ficar lá durante 1 ano. Vamo-nos deitar e amanhã logo veremos.
Foram para a cama e adormeceram.
No dia seguinte Paula acorda bem cedo para ir ver o estado da sua casa. Chegou lá e a casa estava como carvao. Toda queimada. Paula começou a chorar, pois trazia boas recordaçoes da antiga casa. Dali a alguns dias Paula recebe uma noticia inesperada. O pai tinha a falecido. Paula foi directa a casa dos pais e quando chegou lá estava o seu pai deitado. Começou a chorar. Era filha única, quando depois de um mês do pai ter falecido, Paula recebeu uma carta do tribunal, abriu e leu. Paula ficou admirada e logo viu que era o testamento que o pai tinha feito para deixar toda a sua herança a sua filha. Ficou contente com a noticia, pois com o dinheiro que o pai lhe tinha deixado, paula poderia fazer outra casa. Gonçalo era o marido de Paula, e voltava dali a 6 meses. Paula fez os possiveis e os impossiveis para começar com as obras o mais rapidamente possivel. Dali a 4 meses e meio estava toda a sua casa pronta. Ficou muito contente e ainda comprou um carro porque na noite que a casa ardeu roubaram-lhe o carro. Tinha feito uma ampliaçao muito grande a casa, porque a casa era muito pequena. A menina cresceu e quando veio à janela viu o pai e logo foi a correr para os braços dele. A mãe veio á porta a ver o que se passava. Viu o marido e começou a chorart de alegria. Paula, Gonçalo e a menina Catarina foram agradecer tudo o que a senhora Maria fez por eles e quando lá chegaramn viram a senhora Maria com malas feitas.
- Para onde vai?
- Vou para junto da minha familia. Para Paris.
Abraçaram-se as duas muito contentes. Paula levou-a para o aeroporto e lá ela foi para o avião. Paula começou a chorar de alegria. Foi para casa e passando alguns meses teve outro filho. Assim viveram felizes para sempre.







Fim

23
Nov07

Retrato

DanI
Logo pela manha a claridade do dia era o essencial para o passeio que a mãe tinha realizado com o filho. Passaram pelo parque todo o dia. Sentaram-se no banco de jardim e o filho lembrou:
            - Quando passo por aqui lembro-me…lembro-me…
            - Lembras-te de quê, filho?
            - Foi aqui que eu perdi a nossa companheira diária. Era a melhor tartaruga que eu já tive. Encontrei-a e perdia aqui mesmo.
            - Mãe, dás-me uma tartaruga?
            - Não sei!
A mãe não tinha possibilidades de oferecer uma tartaruga ao filho pois tinha falta de dinheiro. Na altura as tartarugas eram muito caras só que…
 
Entristecido o rapaz procurou trabalho. Sabia que a mãe não tinha tido muita sorte com o dinheiro, pois decidiu ajudá-la. Procurou…procurou…procurou, que finalmente arranjou um trabalho, mas era no horário das aulas. Aceitou o trabalho, mas disse que só podia a partir das cinco horas pois as aulas acabavam as 4.30. Ia a casa, lanchava e depois dizia a mãe que iria brincar com os amigos. O emprego era como servente de mesa e dizia ele “não deve custar muito, o trabalho não e muito duro”, isto era o que ele pensava. Durante três meses trabalhou, para ajudar a mãe, só que um dia a mãe desconfiou de algo que no estava bem no filho. Chegava a casa sempre cansado e pensava ela “de onde vira este rapaz?”. Mas pelo dinheiro que era o rapa tinha que trabalhar ao seu máximo, pois tinha que ganhar o máximo de dinheiro possível para comprar a tartaruga. 400 euros era o suficiente para pagar as contas da casa, a luz; o gás…
Um dia o filho chegou a casa e a mãe perguntou:
            - Tu tens que estudar, não podes andar sempre ai a brincar com os teus amigos.
            - Eu sei mãe, e até para te provar que estudo vou-te dar o meu teste.
            - Satisfaz bastante?!?
            - Tu a esta disciplina tiravas sempre excelente e agora baixaste a nota?
            - Mãe, estava quase no excelente, a professora disse.
 
A mãe lá acreditou, mas ainda com aquela dúvida “o que é que ele andara a fazer?”
Um dia a mãe segui o filho, depois das aulas. Muito desconfiada viu o filho dirigir-se a um restaurante.
            - Descobri!!!
 
Foi lá dentro ao restaurante busca-lo, para falar com ele.
Trouxe-o para fora e logo teve uma conversa com ele.
            - Porque e que não me disseste que trabalhavas?
            - Tinha medo que tu me ralhasses, e também queria ajudar-te nas contas da casa.
            - Filho, não era preciso chegar a tanto, não precisavas de trabalhar, não precisavas de ganhar dinheiro para as contas. Estamos bem assim…
            - E agora promete-me que não vais trabalhar mais no restaurante.
            - Prometo, mas com uma condição.
            - Qual?
            - Trabalhares onde eu trabalhei. Sais da fabrica e vem trabalhar para aqui.
            - Filho, mas eu ganho menos aqui!
            - Hihihihihihihi! Ganhas o quê?
            - Aqui ganhas 400€ enquanto na fábrica ganhas 195€, ganhas muito aqui.
            - Ok! Este prometido.
            - Já me esquecia que tenho uma surpresa ara ti!
            - O quê?
            - Anda…
Foram a loja de animais comprar a tartaruga, só que o filho perguntou a mãe:
            - Tu não tens dinheiro!
            - Tenho filho, eu juntei alguns trocos…
O senhor da loja ouviu aquilo e ficou cheio de pena, que até ofereceu a tartaruga ao rapaz.
Emocionados os dois abraçaram-se e beijaram-se.
Agradeceram ao senhor da loja, por lhes ter oferecido tartaruga e foram-se embora.
Tanto esforço, tanto esforço, para o fim lhe oferecer a tartaruga, mas no fundo valeu a pena trabalhar…
O rapaz depois de alguns anos tirou o curso de médico e viveu muito feliz com a sua família e amigos.
 
 
 
 
 
 
 
FIM
 
20
Nov07

Poluição

DanI

Todos temos que lutar pelo nosso planeta, não podemos viver mais num mundo de “poluição” é impossível viver… lixo e mais lixo, percorre o nosso país, percorre mais seis países e vai indo percorrer o mundo inteiro…

Não podemos permitir que isso aconteça.

Todos juntos vamos lutar para um mundo melhor, porque a poluição vai aumentar:

 

  • Mais mortes;
  • Menos oxigénio
  • …..

 

E por isso que morre pelo menos 1000 pessoas por ano, por  culpa da poluição e por culpa de que a faz, por exemplo: somos nós que fazemos na poluição. Como?

 

  • Deitando lixo para o chão
  • Não fazer separação de lixos “reciclagem”
  • …..

 

Por isso, um dos melhores métodos para diminuir a poluição e reciclar.

Alerto-vos, porque qualquer dia vamos viver num mundo de LIXEIRA…

 

Obrigado

 

 

20
Nov07

Poemas de Miguel Torga

DanI

SEGREDO

Sei um ninho.
E o ninho tem um ovo.
E o ovo, redondinho,
Tem lá dentro um passarinho
Novo.

Mas escusam de me atentar:
Nem o tiro, nem o ensino.
Quero ser um bom menino
E guardar
Este segredo comigo.
E ter depois um amigo
Que faça o pino
A voar...

Confiança

O que é bonito neste mundo, e anima,
É ver que na vindima
De cada sonho
Fica a cepa a sonhar outra aventura...
E que a doçura
Que se não prova
Se transfigura
Numa doçura
Muito mais pura
E muito mais nova...

                Miguel Torga
21
Out07

O Rapaz Chinês

DanI

   Era um rapaz muito trabalhador. Gostava muito de ajudar os tios.

Ganharam muitos clientes, pois a simpatia do rapaz era o suficiente para agradar as pessoas. As pessoas que por lá passavam viam coisas lindas, mesmo ao seu gosto. Pitchu, o sobrinho do casal, acompanhava as pessoas para lhe indicar onde se situava os produtos.

            - Queria enfeites para a minha árvore de natal!

            - Sim com certeza!

Pitchu acompanhou a senhora até á prateleira dos enfeites para o natal.

Começou por dar sugestões e depois os preços.

            - Leve esta fita é uma das melhores que temos cá na loja.

            - Esta bem, eu levo, mas qual o é o preço?

            - 1€, mas eu faço-lhe por 0.50€!...

            - És muito querido, mas dou-te 1€. Fica 0.50 para a loja e 0.50€ para ti, é um bónus por seres muito simpático.

            -obrigado, e volte sempre.

   Pitchu ficou todo contente, pois tinha recebido um bónus daquela senhora.

   Um dia os tios estavam com problemas bancários. Precisavam de pagar uma divida de há mais de 3 anos. Por isso tinham de vender a loja.

   O casal não sabia como contar este problema a Pitchu.

Pitchu já sabia que isso ia acontecer, pois, tinha ouvido muitas conversas entre o casal.

   Mas na altura Pitchu pensou em fazer um “Pé-de-meia”, pois lá guardava, as suas gorjetas, e algum dinheiro que os pais lhe enviavam, e dos tios por ele estar a trabalhar na loja.

   Precisavam de 1.000.10€.

O casal chegou a beira de Pitchu para lhe contar uma coisa, de repente Pitchu apresenta-lhes o seu pé-de-meia.

            - Para que isso é?

            - São os 1.000.10€ que precisais para pagar a vossa divida que tendes no banco…

   Olhos nos olhos o casal começa a chorar de alegria.

   Abraçaram o sobrinho, beijaram-no e agradeceram-lhe.

   Logo, muito rapidamente foram entregar a divida ao banco e assim puderam continuar com as portas da loja abertas.

   Cada vez mais receberam mais clientes e dali a alguns anos construir outra loja, para oferecer ao sobrinho.

   No dia dos anos de Pitchu fizeram-lhe uma surpresa.

   Taparam-lhe a venda e viu aquela loja enorme só para ele.

   Muito contente, abraçou os tios.

Foi o aniversário mais feliz da vida dele, apesar de não estar lá os pais. Mas Pitchu sabia que os pais estavam felizes e orgulhosos por ele.

   Pitchu dali a 10 anos casou e teve muitos filhos.

Foi feliz para sempre,

 

 

                                                            Fim   

16
Out07

Anita e as Doçuras

DanI

Logo pela manhã, Anita prepara tudo para dar asas ao trabalho.

Lavava os frascos, fazia as etiquetas, preparava os frutos…

Pelas 10.30 estava Anita sentada na praça para poder vender as suas compotas.

 

 

 

        “Vende-se compotas”

 

 

 

 

Passavam pessoas, crianças, tudo comprava.

Anita era uma rapariga de confiança, era uma doçura, mais doce que as suas compotas.

Mas só que um dia…

Ouve um problema!...

Ao fazer as suas doces compotas, saltou-lhe água quente pelo braço abaixo, anita estava aflita que desmaiou.

Toda a gente estava a achar estranho porque todos os dias, por aquela hora, estava ela ali sentada a vender as suas doçuras.

Passado algum tempo foram a casa dela.

Espreitaram lá para dentro e estava ela caída no chão toda queimada no braço.

De imediato chamaram logo os bombeiros para a vir socorrer. Todos estavam tristes e preocupados por saber notícias da Anita.

Passado algum tempo anita regressa a casa.

No dia seguinte sem ninguém contar, estava anita sentada na beira da praça a vender as suas compotas.

Todos felizes e ao mesmo tempo chateados porque poderia lhe acontecer alguma coisa.

Mas o motivo de felicidade era por continuarem a saborear as suas deliciosas doçuras.

 

Fim

21
Jun07

Deixas de Amor

DanI

Vi-te pela primeira vez mas nao te quis conhecer

Foi amor à primeira vista

Fui tótó nao te ter conhecido antes;

Poerdi-te, durante 1 ano mas nao te quero voltar a perder,

Sempre gostei de ti

Noites, noites a pensar em ti

Sonhos maravilhosos,

Perdi-te pela segunda vez,

Quando foistes para a universidade, deixaste-me só,

Mas continuei a gostar de ti, sei que iuas estudar paqra alcançar o teu sonho,

passado 2 Meses Voltaste. foi ai que tudo começou,

Se hoje estou aqui é porque gfosto de ti.

Amo-Te

Quiste conhecer na primeira vez que te vi

Não me deste oportunidades para te conhecer

Mas agora que te conheco tenho medo de te perder.

Gostei, gosto e gostarei de ti até ao final da minha vida,

Ficarei contigo no meu coraçao e em toda a parte,

Nunca te irei esquecer na vida, foste sempre minha amiga e nunca me traiste,

Espero que queiras ficar comigo para todo o sempre

Amo-Te

11
Mai07

QUERIDA AMIGA

DanI

                                                   Vila cova, 11 de Maio de 2007

 

 

Querida amiga,

 

Como e inacreditável a forma como a vida fez perceber o quanto é importante para mim a distancia entre nós. Talvez esteja doido ou desorientado, mas é verdade, estás longe, sinto a tua falta, a saudade vai-se acumulando…

Longe, pouco tempo estou contigo, não te tenho visto ou falado, a não ser virtualmente o que se torna na verdade uma tormenta.

Sabes que aprendi, logo de recém-nascido, a conviver contigo, deve ser por isso que te admiro tanto, pois ainda tenho na mente as tuas brincadeiras infantis comigo, que deixo em qualquer criança alucinada, porem fui crescendo, aos poucos e poucos, onde estiveste sempre disposta para falar dos meus desabafos de criancinha do pré-escolar, …enfim maluquices…que só mesmo tu as podes aturar… Como eras paciente.

Até que entrei na adolescência, onde sou confrontado com o mundo “real”, onde enfrento uma série de problemas de difícil resolução a que estou sujeito a interioriza-los, pois estas longe para partilha-los contigo, quando estes se acumulam, sinto-me perdida num labirinto, é então, que me refugio por vezes, nos bancos das ruas e quando dou por mim, estou a procurar-te no meio da multidão que passa, na verdade, acho que procuro o teu lindo sorriso que me conforta.

Como eu gostava de ter-te perto de mim, para poder partilhar o que me atormenta… sabes, que quando falo contigo, liberto-me, não sei explicar exactamente como me sinto, apenas sei que é como me purificassem ou limpassem a alma… como tenho saudades desses tempos!

A tua face risonha, o teu sorriso, enfim, todo o teu ser, é inexplicável, alias, tu vives a vida de uma forma que jamais algum ser pode imaginar.

Eu sem ti, sinto-me incompleto, mas feliz, porque sei que estas bem que és capaz solucionar todas os percalços a que a vida te propõe e que, por muito que te sintas mal, tens a capacidade de despir o teu ar de triste.

 

Obrigado, amiga tens sido uma amiga de verdade.

                 

 

                                                                       Beijos do Daniel 

22
Fev07

Blogue

DanI

  No dia 23 de Janeirode 2007, criei um blogue, na escola de Vila Cova na aula de Apoio a Lingua Portuguesa, com o Prof. Paulo Faria.

  Criei um blogue para os trabalhos, resumos etc...

  Fri-lo para desenvolver a escrita e expo trabalhos  para o professor.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2007
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D